Ir para o conteúdo
ou

 Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

Governo de Minas e Secretaria de Governo debatem experiências de participação digital

10 de Março de 2016, 0:00 , por Mariel Zasso - 118118 comentários | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 1781 vezes
Img 20160310 123718084 hdr

Na foto, a delegação mineira e a equipe da Secretaria de Governo da Presidência da República conversam com o coordenador do curso de Engenharia de Software Prof. Paulo Meirelles e um dos desenvolvedores seniors do projeto, o designer Peter Lima, no Lappis/Unb.

 

O Departamento de Participação Social da Secretaria de Governo da Presidência da República recebeu hoje Thiago Ribeiro e Daniel Perini, da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (SEDPAC) , e Tamás Bodolay, da Secretaria de Estado de Governo do Estado de Minas Gerais (SEGOV) para conhecer melhor as experiências de participação digital em curso no Governo Federal.

 

O objetivo da visita foi promover um intercâmbio de conhecimentos visando a criação de uma plataforma digital para potencializar os esforços de diálogo que a gestão atual tem empreendido, iniciando-se pelos Fóruns Reginais. Dentro da estratégia ilustrada pelo slogan “Ouvir para governar”, foi criado o conceito de Território de Desenvolvimento, dividindo o Estado de Minas em 17 regiões, de acordo com suas diferentes características. Em cada um desses Territórios, foi instalado um Fórum Regional, com reuniões presenciais que irão contribuir continuamente para o planejamento das ações de governo. Inicialmente a plataforma digital vai servir de apoio a essas interações, dando continuidade aos diálogos presenciais e aumentando a sua capilaridade no território estadual, para no futuro contar também com outras instâncias de participação social presencial já existentes.

 

A agenda da delegação começou na quarta-feira com uma visita ao Lappis (Laboratório Avançado de Produção, Pesquisa e Inovação em Software), da UnB Gama, para entender como o governo pode desenvolver software livre em parceria com a academia e a comunidade. O Laboratório, ligado à faculdade de Engenharia de Software da UnB, ensina alunos através da prática de desenvolvimento de softwares livres para projetos em parceria com diversos órgãos governamentais e de pesquisa, como o Ministério do Planejamento (Portal Software Público), Secretaria Nacional de Juventude, IBICT, e Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal, e com o apoio de profissionais experientes que atuam como desenvolvedores senior nas iniciativas.

 

Participa.br e Dialoga Brasil

Na foto, os representantes do Serpro Deivi Kuhn e Paulo Pastore, participando das articulações.Na foto, o almoço com os representantes do Serpro Deivi Kuhn e Paulo Pastore.

As reuniões seguiram na Secretaria de Governo, onde o Coordenador de Participação Social, Ricardo Poppi, apresentou as possibilidades técnicas dos ambientes Participa.br e Dialoga Brasil, construídos sobre a plataforma Noosfero, bem como os avanços do Portal da Juventude, como o aplicativo da 3ª Conferência Nacional da Juventude. A equipe também aproveitou a oportunidade para se reunir em um almoço com Deivi Kuhn, coordenador estratégico de informação e inteligência de governo, e Paulo Pastore, gerente do departamento de conhecimento aberto e participação social, representantes do Serpro, empresa pública de tecnologia do Governo Federal. O objetivo da conversar foi entender o papel da mesma na construção colaborativa de tecnologias para participação. Outro tema abordado pelas equipes foram as experiências de participação social desenvolvidas em seus territórios, abordando as estratégias de ampliação da participação adotadas por cada um dos entes.

 

O time também foi recebido pelo Diretor do Departamento de Participação Social, Cícero Cavalcante, compartilhando a intenção de se integrarem aos esforços de desenvolver o projeto Noosfero-Gov, aproveitando o empenho coletivo que vem sendo empreendido ao longo dos últimos anos no aperfeiçoamento técnico e teórico de uma mesma ferramenta que, sendo um software livre, pode ser livremente estudada, modificada e apropriada por qualquer cidadão ou governo interessado.

 

Como parte da equipe ligada à Secretaria de Governo, estiveram também presentes Leonardo Santos, Antônio Carlos Wosgrau, e Mariel Zasso, colaboradores do Departamento de Participação Social.


0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.